Napkin Pitch: A racionalização do meu conceito

Todos nós já tivemos aquela ideia que nos deixa muito animado e aí ficamos imaginando como poderemos ficar “ricos ou famosos” com ela. Então, assim que essa excitação passa, caímos na real e percebemos que o “buraco é um pouco mais embaixo”.

Nós do time da Grand Designs costumamos dizer que ter uma ideia é só o início de tudo, mas apenas o início e nada mais. Como todo brasileiro e ansiosos para fazer nosso conceito funcionar, começamos a imaginar como poderemos fazer isso… Pera lá, muita calma nessa hora!!.

Antes de tentarmos descobrir COMO nossa ideia de um milhão de dólares irá funcionar, precisamos saber se O QUE ela se propõe a fazer, satisfaz nossos clientes. Para descobrir isso, utilizamos uma ferramenta bastante simples chamada Napkin Pitch ou Resumo de Guardanapo.

Como o nome diz, é uma forma de brevemente explicar O QUE a sua ideia faz, de uma forma rápida e sem grandes recursos, a não ser o seu profundo conhecimento sobre o que te fez chegar até esse conceito. Como um guardanapo desdobrado, usamos cada quadrante dele para explicar nosso conceito.

A grande ideia

É o momento de descrevermos nosso conceito de forma simples e de fácil compreensão para que qualquer um que leia não tenha muitas dúvidas quanto a o que ele pretende fazer.

Necessidades / Benefícios

É hora de começar a imaginar como seu conceito convencerá seus clientes a utilizá-lo através das necessidades supridas e benefícios gerados. Para isso basta tentar resolver as seguintes perguntas:

  • Seus clientes querem isso por que?
  • Quais necessidades do cliente o conceito pretende resolver?
  • Como os clientes se beneficiarão com esse conceito?

Vejamos Exemplos

Vamos imaginar que seu conceito seja uma plataforma de realidade virtual que ajuda as pessoas a fazer investimentos financeiros, de acordo com o estilo de vida do cliente:

 

Execução

Indo para a parte de baixo do nosso guardanapo chega a hora de começarmos a olhar internamente e questionar a nossa capacidade de “tocar a ideia”. Na execução devemos responder perguntas como:

  • Como entregaremos nossa proposta?
  • Quais habilidades, recursos ou ativos nosso conceito requer para funcionar?
  • Precisamos de parceiros? Quais?

Apenas em responder essas perguntas vamos diminuindo muitas incertezas sobre o conceito e claro, vamos passando mais confiança para explicá-lo para uma pessoa que não participou da elaboração dele.

 

Racionalização do Negócio

Ainda com olhar interno, começamos a extrapolar os desencadeamentos de colocar essa ideia para funcionar e para isso, precisamos saber se estamos prontos. Por isso, temos que responder essas perguntas:

  • Como nosso conceito se relaciona com a oportunidade que visualizamos antes de chegar até a nossa ideia?
  • O que nos faz unicamente capazes de entregar esse conceito?
  • Como os concorrentes reagirão?
  • Quais são os nossos principais diferenciais competitivos?

Perceberam como todas essas perguntas nos levam a fazer afirmações que não conseguimos comprovar, ainda? É para isso mesmo que essa ferramenta existe, para que comecemos a imaginar hipóteses importantes para o nosso negócio. Se seremos capazes ou estamos dispostos a validá-las é uma discussão que o time precisará fazer internamente.

Vejamos exemplos

Ainda com nossa ideia mostrada anteriormente poderíamos colocar desta forma:

 

Mas e agora?

o Napkin Pitch é muito importante na vida de uma startup ou de uma equipe que precisa trazer uma solução para um problema de uma empresa, principalmente por conta de ajudar a entender se conceitos têm potencial ou não em um estágio bastante inicial de busca por uma solução. Além de ajudar equipes a escolher entre vários diferentes conceitos que possam surgir para resolver um mesmo problema. Evita discussões em cima de abstrações e evita a perda de tempo (sócios, colegas e amigos) na escolha do melhor conceito a ser desenvolvido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *