O Bom Problema: Como enxergar problemas pode ser o diferencial do seu negócio.

Você já teve a sensação de lidar com um mesmo problema uma segunda vez e mesmo assim não conseguir resolvê-lo? Não se preocupe!! Esta é uma situação cada vez mais comum na rotina de diversas empresas. Entretanto, o que diferencia o sucesso de uma empresa para a outra é como elas lidam com esses “problemas recorrentes”.

Podemos afirmar que todos problemas têm solução!! Esta pode ainda não ter sido descoberta mas certamente se o problema “persistir”, um dia será. Digo isso porque um problema é algo que gera desconforto e por isso, sua solução é muitas vezes desejada. Desta forma, podemos afirmar que descobrir novos problemas é tão ou mais importante quanto resolvê-los. A maior dificuldade está em reconhecer os diferentes tipos de problemas e saber como abordá-los de forma efetiva.

Nós temos a tendência em tentar utilizar uma solução antiga para problemas novos, mas o que há de errado nisso? Hoje em dia, dependendo do problema, alguns milhares ou milhões de reais. Ao longo dos anos aprendemos que o registro de soluções é e sempre foi muito útil para que outras pessoas ao se depararem com “a mesma” situação possam utilizar uma abordagem já testada e consagrada, reduzindo assim o desperdício. Esses registros passaram a ser chamados de muitas formas: “Lições aprendidas”, “Melhores práticas” etc.

Muito se foi desenvolvido no âmbito da qualidade para que a cada dia fôssemos capazes de executar atividades ainda mais complicadas (importante salientar que não complexas) em menos tempo. A busca pela excelência se tornou um mantra nas principais organizações, pois este foi por muitos anos o diferencial.

A afirmação acima em tempo passado não quer dizer que a busca pela excelência e melhoria contínua não mais seja importante. Na verdade é imprescindível! Todavia, a cada dia se torna menos diferencial para empresa. Para ilustrar mostramos na figura abaixo quatro diferentes classificações de problemas:

Do lado direito temos os problemas simples e complicados. Quando nos deparamos com um problema simples, este está normalmente relacionado à capacidade do material humano disponível (colaboradores) em resolvê-lo. Portanto, trata-se de um problema que provavelmente será solucionado pelo responsável da atividade, mas a pergunta mais importante a ser respondida é: “em quanto tempo?”.

A principal diferença entre problemas simples e complicado é que, ao contrário dos problemas simples, os complicados não são tão facilmente solucionáveis. Para se solucionar  este tipo de problema, é necessário adquirir novos conhecimentos. Quando dizemos adquirir conhecimento, estamos falando em fazer uma formação específica, recorrer a um especialista interno ou até mesmo contratar um terceiro. A construção de um avião pode ser considerado um exemplo de problema complicado.

Mas o que ambos problemas têm em comum? Tanto problemas simples quanto complicados ao serem resolvidos uma primeira vez, poderão ser sempre resolvidos da mesma forma. Por isso sempre foi importante registrar abordagens de sucesso para que cada vez mais um problema complicado se torne simples e assim, o aprendizado organizacional aconteça.

Como assim complexos?

Mas e quando os problemas parecem ser semelhantes, mas mesmo assim as abordagens previamente registradas não surtem efeitos duradouros? Essa estranha sensação pode ser um indício que você não mais está lidando com problemas do lado direito da figura acima. Você está enfrentando problemas complexos ou caóticos!! Estes tipos de problemas têm características bastante peculiares.

 

 

Como um emaranhado de fios, não sabemos o que esperar dos resultados, pois estes possuem diversas situações combinadas fazendo com que todas essas interações criem um comportamento sistêmico, gerando algumas possíveis complexidades:

  1. Complexidade dinâmica: causa e efeito são distantes no tempo e espaço;
  2. Complexidade geracional: a situação que se depara é absolutamente nova e nenhuma solução “antiga” pode ser aplicada;
  3. Complexidade social: atores diferentes, representando diferentes interesses, perspectivas e entendimento sobre o assunto analisado.

Imagina lidar com todas essas complexidades em um mesmo problema? Para isso é importante fazer uso de algumas habilidades que por muitos anos foram desestimuladas por pessoas, instituições e organizações!!  Trata-se da Criatividade: “um ato mental que contém a característica mais comum e complexa da natureza”. Por conta de tal desestímulo, acredito que atualmente possuímos pouco conhecimento a respeito dessa habilidade.

Nos dias de hoje existem muitas técnicas consagradas que objetivam utilizar o máximo possível da criatividade das pessoas para solucionarmos problemas complexos e caóticos. Em outras oportunidades iremos abordar algumas delas como, Design Thinking, Teoria C-K, Teoria Triz, Creative Problem Solving, Sprint etc.

Portanto, se você quer ter sucesso na sua vida pessoal ou na sua empresa, encontre bons problemas, aprenda a qualificá-los e escolha a melhor forma de lidar com eles. Identificar e solucionar problemas é o que nos faz evoluir e talvez seja o principal combustível para a inovação!! Apenas saia da desordem!!

 

 


3 thoughts on “O Bom Problema: Como enxergar problemas pode ser o diferencial do seu negócio.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *